Reflexoes Cristas

O deus particular do cristão moderno (Deus conveniente)

deus particular
Amuleto, objeto que se acredita que traz sorte ou proteção ao seu possuidor

Uma das maiores dificuldades que existe como cristão é não criar um deus particular. Estamos vivendo um tempo tão difícil como disse Paulo em 2 Tm 3. 1 que estamos pegando um deus e moldando-o aos nossos gostos e prazeres. Obrigamos esse deus a fazer o que queremos. Colocamo-lo de castigo, de cabeça para baixo, brigamos e falamos que vamos embora se ele não agir. “Você é deus e tem a obrigação de me ajudar!”. Um deus que tem uma obrigação de ouvir e responder.

Um deus que se não fizer nada irá mostrar a sua fraqueza. Esse é o deus que o homem criou, inventou, fez para si. Um deus pequeno e que se submete aos desejos mais sujos e pequenos do homem. E o pior que estamos gostando disso, gostando de dar ordem a esse deus.

O Deus de Israel se recusa a ser um deus particular de quem quer que seja. Ao longo da narrativa bíblica encontramos inúmeras referências a “aqui estão teus deuses”. Quem busca um deus particular busca conforto físico, conveniência e interesses (Ex 32. 8; 1 Rs 12. 28). Busca facilidades no reino de Deus.

Israel queria um deus particular

Afinal não era por buscar facilidades e conforto que o povo de Israel murmurava contra o Altíssimo no deserto? O deus ideal para aquela geração incrédula era um deus sem voz, sem audição, sem tato ou qualquer outro sentido. Por ser desprovido de interação cada um subjetivamente criava o seu deus, conforme suas conveniências e circunstâncias.

Os profetas de Baal adoravam um deus particular. Elias adorava e servia ao Deus único, Criador do Universo e mantenedor de todas as coisas, sejam elas visíveis ou invisíveis. Cl 1. 15,16. O resultado foi o triunfo da pluralidade sobre a nulidade. (1 Rs 18).

Quem vive a sombra de um deus particular, vive miseravelmente afastado das mais grandiosas e eloquentes manifestações de Graça do Deus de Israel. 

Mas, quando olhamos para O Deus de Elias, vemos o Deus verdadeiro. Passamos a ter o mesmo sentimento do profeta Isaías no Cap. 6, o quão pecador e errado era e o quanto precisava dEle para se concertar.

Quando nos encontramos com o Deus de Abel, Enoque , de João, de Marcos e outros heróis da fé (Hb. 11), vemos as nossas mazelas e pecados expostos e sentimos miseravelmente o quão pequeno somos. 

Caímos de joelhos como fez Paulo no caminho de Damasco (Atos 9), somos levado a obediência extrema como foi Abraão (Gn 22). Diante de Deus é impossível se achar grande e forte, pois diante dele somos mais que miseráveis. Diante Dele tudo se dobra, se curva, caí porque Ele É. Como esta escrito “operando Eu quem impedirá? Is 43. 13

Temas Relacionado:

Voltemos ao arrependimento, arrependimento do que somos e fazemos, arrependimentos das mentiras e erros. E claro, se arrepender do que nos tornamos para sermos sarados pelo Pai (2 Cr 7. 14). 

Fiquemos debaixo da Sua vontade soberana que sempre será boa, agradável e perfeita conforme Rm 12. 2. Que possamos nos desfazer dessa imagem do deus particular criado por nós e vivermos O Deus criador e Salvador.

Pr. Rogério Maciel

Rogério Maciel é líder da Comunidade Evangélica Kairós

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Deus chama as pessoas pela dor (salmos 119)

Fechar