Livros da Bíblia

Introdução ao Livro de Romanos

Livro de Romanos

Há quem afirme que se a Bíblia fosse composta unicamente do Evangelho de João e do livro de Romanos, ainda assim todo o plano da Salvação estaria completo. Após várias leituras de Romanos, conseguimos enxergar duas grandes divisões, que entendemos como a vida antes do Espírito, até o cap. 7 e a vida no Espírito, do cap. 8 até o cap. 16.

Primeira parte do Livro de Romanos (caps 1-7)

A primeira coisa que vamos entendendo ao ler o livro de Romanos é que todos pecaram e carecem da misericórdia de Deus. A partir do Pecado Original, toda a humanidade caiu da Graça. O homem pecou, a mulher pecou, todos pecaram. Os povos pecaram, as nações pecaram.

Com o tempo Deus escolheu uma nação para si e lhe deu Leis e chamou aquele povo de propriedade exclusiva. De alguma forma Israel se achava acima do restante da humanidade e em Romanos, Paulo acusa formalmente Israel do pecado. Todos pecaram. Até Israel pecou.

O pecado separa de Deus

Deus é justo, Deus é Santo e não pode ver o pecado. Muitas pessoas ainda não entenderam como o pecado é um agravante sério. Uma forma de explicar o pecado é tentar entender o que é o Reino de Deus. O Reino é o Governo de Deus.

O pecado é a revolta contra esse Reino e a tentativa de fazer outro. O pecado quer depor o Rei do Reino de Deus, ou seja o pecado quer depor Deus.

É óbvio que a revolta de Lúcifer no Céu era para querer ser Deus no lugar de Deus. O pecado é um outro reino. A Bíblia chama de Reino das Trevas em oposição ao Reino de Deus, ou Reino da Luz.

Ezequiel 18,4 define que a alma que pecar, essa morrerá. O pecado é querer existir no Reino das Trevas, num reino sem Deus. Se Deus é a vida, o gerador da vida e o mantenedor da vida, querer estar fora Dele é buscar a não existência. O pecado conduz, normalmente, calmamente, à morte.

A vida cristã é um desafio

A vida cristã é um grande desafio. Somos instruídos a agir contra a nossa natureza original pecadora, e buscar com afinco a natureza de Deus. Devemos nos deixar tratar e sermos moldados à uma outra natureza, estranha à nossa natureza pecadora.

É requerido de nós, que desde que entramos na Igreja, deveremos nos encaminhar para a liderança da Igreja, para uma renovação de liderança, onde é nos mostrado que cada novo cristão é uma nova esperança para a Igreja, primeiro de perpetuação e depois de renovação, ou avivamento.

Somos ensinados a cantar, pregar, tocar, liderar. E tudo isso enquanto não entendendo o rebuliço dentro de nós, a nossa natureza está debaixo de ataque cerrado, de inimigos espirituais. É um desafio, é uma guerra espiritual.

O cristão sabe que foi chamado para a salvação, o que compete a santidade, separação do mundo para sermos de Deus. Ai encontramos crentes que bebem, um pouquinho, como se ele ser velho no Evangelho o isenta de obedecer às Leis da santidade.

Encontramos crentes que falam palavrões, mesmo sabendo que o palavrão é a palavra gerada no inferno. O palavrão é uma palavra de maldição. Não existe um palavrão bom, ou bonito, todos denigrem algo, ou alguém. Todos amaldiçoam alguma coisa.

O sexo, que a Bíblia só permite entre casados e com consentimento mutuo, banalizou, entre muitos meios cristãos. Parece que o crente ficou velho de Igreja e as Leis de Deus não são mais para ele.

Abrem-se exceções a tudo o que você imaginar. Todos pecaram, não há um justo sequer. E ai, só lhe resta a ardente expectação de juízo.

O que Romanos fala do homossexualismo?

Paulo toca num assunto muito atual: o homossexualismo. Mas de onde vem isso? As raízes do homossexualismo estão no pecado de Adão e Eva, notados principalmente na fala de Adão, onde ele se justifica de ter pecado, acusando a mulher que Deus lhe dera. De certa forma ele acusa Deus.

O homossexualismo é diametralmente oposto ao casamento. O homossexualismo é um desvio que acusa o casamento, é a sua maior negação possível.

A destruição da justiça própria

O que muitos não entendem, justamente nos primeiros tempos de crente, ter sido tão fiel e passado o tempo está caído da fé, de tal forma caído, que está orando, para Jesus demorar um pouco mais para voltar. Deus demonstra para toda a humanidade que “todos pecaram”.

A justiça própria dos que se achavam tão perfeitos é enlameada, jogada no lixo, a Bíblia tem até uma palavra horrível pra isso: trapos de imundícia, que era um tipo de absorvente intimo feminino.

Quando notamos um cristão que se acha acima dos outros, imaginando que o seu pecado não é tão horrível assim, Deus permite que ele seja destruído, que seu pecado apareça, que a sua sujidão surja, que o fedor de suas trevas impregnem o ambiente. E ai temos o aparecimento dos crentes carnais.

A nova natureza

livro de romanos

Corintios nos fala que existe o homem natural, a pessoa que não conhece Deus. Tem também o crente espiritual, o crente na presença de Deus, alguém que foi iluminado pelo Espírito Santo e agora é um seguidor de Cristo. E por fim temos o crente carnal, o crente que vive pela Velha Natureza.

O homem natural através da ação do Evangelho é transformado em homem espiritual.Clique para Twittar

Caso este homem espiritual, deixar-se dominar pela velha natureza, então ele se torna homem carnal. O homem natural, a pessoa que nunca foi iluminada não é carnal, nem pode ser.

Quando aceitamos a Jesus uma nova natureza começa a agir em nós. O Espírito Santo entra em nós e vamos sendo transformados.

Mas os que tem uma justiça própria, se achando super crentes, serão abatidos pelo próprio Deus, para que Ele, Deus, mostre claramente que não tem uma única pessoa no mundo que não tenha pecado. A demonstração do pecado tem um objetivo, que é nos fazer notar, o quanto precisamos de Cristo.

A justiça de Deus

O termo “justiça de Deus” permeia toda esta primeira parte do livro de Romanos. Notamos que uma um encadeamento vai surgindo sequencialmente nessa primeira metade: justo, justiça, justificador, a justiça de Deus.

A justiça de Deus significa que todos pecaram, não há um justo sequer, a alma que pecar essa morrerá. Sendo assim, toda a humanidade deve morrer, em seu pecado.

Entretanto Deus em sua infinita misericórdia, mandou seu Filho, santo, inocente morrer por nós. Paulo fala isso em Romanos.

Mas mesmo a obra de Cristo na Cruz sendo feita realizada em nossa vida, com a Lei do pecado sendo rompida, quebrada, por uma Lei mais forte, a Lei da Graça, ainda temos o problema dos pecados que cometemos.

A Lei do Pecado não tem mais poder sobre o filho de Deus, mas nós, ainda somos pecadores. Como resolver isso?

A vida antes do espírito

Há solução para o crente que se desviou, por causa de si mesmo, imaginando que ele, ou ela, eram especiais, de alguma forma mais santos que o restante da humanidade e Deus o permite cair. Romanos 11 diz: Por acaso Deus rejeitou o seu povo? Porque há um remanescente escolhidos pela Graça. E se é por Graça não é pelas obras, pois se fosse, a Graça não seria mais Graça.

Há uma esperança para o crente carnal? Sim, há. Porque ele caiu? Caiu porque se achou superior aos outros. Caiu porque havia uma justiça própria que precisava ser destruída paulatinamente por Deus.

Deus não rejeita a ninguém, mas precisava mostrar, com todas as letras, que é preciso que todos olhem para a Cruz, sem exceção. É necessário que todos se encham do Espírito, sem exceção.

É necessário que todos obedeçam a palavra, sem exceção. Ninguém está acima da Lei de Deus. Ninguém é favorito.

Segunda parte do Livro de Romanos (caps 8-16)

Na primeira parte do livro de Romanos, até o cap. 7, o Espírito Santo não aparece uma única vez. Porém no cap. 8 aparece dezenove vezes. E daí pra frente aparecendo mais vezes.

A mensagem é clara, via a vida no espirito. É muito claro que o que Deus quer falar para nós através de Paulo, é que o homem precisa reconhecer o seu pecado, pedir perdão a Deus, acreditar na obra salvadora de Cristo e ser cheio do Espírito para vencer e ser nova criatura.

Romanos 8 é a prova bíblica, registrada, oficializada, do quanto o crente precisa do Espírito Santo. Não se iluda querendo ser bonzinho, o Espírito Santo é só pra crentes.

O homem natural, não tocado na sua alma, no seu espírito humano, pelo Espírito Santo, não tem capacidade de ter o Espírito Santo. O Espírito é só para o crente, para o seguidor ativo de Cristo.Clique para Twittar

De alguma forma Deus permite a todos os cristãos compreenderem, uns mais, outros menos, o quanto de carnal ele pode ser, do quanto de velha natureza ele anda, para faze-lo entender cabalmente, definitivamente, o quanto precisa do Espírito Santo.

Temas Relacionado:

A chave do livro de Romanos é o Espírito Santo, que é a chave da vida Cristã. A partir de sermos cheios do Espírito, poderemos sermos bons crentes e perfeitos imitadores de Cristo.

A estrutura do Livro de Romanos é muito simples. Deus em Paulo nos demonstra passo a passo o que é a vida sem o Espírito Santo e nos prova, na prática, o quanto necessitamos urgentemente, premente, angustiante, o quanto precisamos sermos cheios Dele.

O resumo é um só: Sem o Espírito Santo, não conseguimos sermos cristãos. Amém!

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

oração do Pai nosso
A Oração do Pai Nosso é questão de fé e entrega

Fechar