Vida Crista

Sete passos para que seu casamento tenha sucesso

casamento tenha sucesso

Esta mensagem é para maridos e esposas que querem que seu casamento tenha sucesso. É também para aqueles que são casados novamente e acham que é necessário trabalhar tão duro, ou mais difícil, pela segunda vez. Esta mensagem é também para os solteiros que esperam estabelecer um bom lar cristão algum dia, no futuro.

Esta mensagem é apenas para parceiros de casamento honestos. Não é para aqueles que procuram uma saída fácil para o casamento ou que estão querendo uma maneira de simplesmente existir num arranjo ruim.

Não há casamentos fortes que não tenham sido testados severamente. Maridos e esposas que experimentam sofrimento, dor, desentendimento e tentação – podem, juntos, se elevar acima de tudo e desfrutar de um esposório que é lindo e duradouro. Como a cada parceiro reage às crises é a chave para que um casamento tenha sucesso.

É muito verdade que menos casamentos estão fazendo isso nesses tempos difíceis. A taxa de divórcio está ficando assustadora – e isso acontece mais perto de nós todos os dias. Mesmo os casamentos que duraram décadas estão se rompendo.

Essas não são regras gerais e nem as melhores do mundo, mas acredito que pode ajudar a quem procura fazer com que seu casamento tenha sucesso.

1- Nunca se exceda ao falar com o outro

Um grande problema do casamento, ou de qualquer relacionamento é o que se fala e faz no momento acalorado da discussão. Quando se é imaturo, tratamos tudo a ferro e fogo. É preto ou é branco, mas a vida às vezes é cinza, nem preto e nem branco.

Uma coisa já percebi, muitas vezes os argumentos dos dois lados são válidos. Mesmo tendo argumentos muito fortes, nunca se exceda ao falar com o outro.

Algumas palavras nunca deveriam ser ditas no momento acalorado da discussão. Palavrões são palavras ofensivas geradas no Inferno. Mas existem frases e conjuntos de palavras, ditas de tal forma que tem o mesmo poder que os palavrões: denegrir, ofender a imagem do outro, destruir a auto-estima alheia.

Quantas vezes depois de uma discussão ficamos muito tristes conosco mesmo e reconhecemos que algumas coisas não deveríamos ter dito?

Uma regra que aprendi é nunca discutir com os filhos quando nervoso, isso pode ser prejudicial a todo mundo. A mesma regra levei ao casamento. Em momentos de tensão, saia de casa para dar uma volta. Reflita, procure se acalmar. Depois, com mais calma você expõe sua opinião.

2- Respeite a personalidade do seu conjugue

Um dos maiores problemas no casamento é que porque o casal sendo parceiro na vida cotidiana, então cria-se a idéia que o outro é visto como o empregado, e tem a expressa obrigação de fazer tudo o que quisermos, sem questionamentos. A outra pessoa tem sentimentos, algumas vezes expressa insatisfações.

O nosso papel no casamento não é derrubar o companheiro, ou criar inimizade, mas o contrário é real. Na maioria das separações, os dois que se amavam tanto e eram uma esperança de felicidade, saem como verdadeiros inimigos mortais.

Nunca ofenda o outro, a outra. Nunca ofenda ninguém. Palavras plantadas são como uma floresta que cresce e cria raízes fortes. A palavra separação ou divórcio, por exemplo, depois de dita pela primeira vez, da próxima sai mais fácil.

“Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira.” Efésios 4:26

Meus primeiros pastores da Assembléia de Deus gostavam muito de repetir esse ensino de Paulo. Ficar nervoso, ou irado que é nervoso ao extremo, até podemos ficar, mas não podemos pecar de forma alguma no momento do nervosismo, ou fora dele. Jesus ficou irado, algumas vezes, mas nunca pecou. Ficar nervoso você até pode, pecar não.

3- Imaginando crises no casamento

É interessante que quando se tem irmãos, existem algumas brigas que parecem ser homéricas e históricas, mas que passados alguns instantes as partes estão se falando numa boa. Os problemas no casamento deveriam ser tratados assim também.

Talvez ajude pensar de forma meio enviesada esse assunto. Não existia no Israel do Antigo Testamento, a idéia de se desviar. Isso é coisa do Novo Testamento. Os nascidos em Israel eram uma grande família e família não tem essa de não gostei, vou embora.

Um dia a minha mãe ficou brava comigo e disse-me: Você não é mais meu filho, como se isso fosse possível. A mesma coisa ocorre com os desviados da Igreja, ao imaginarem que desviando-se deixam de serem filhos de Deus. Uma vez tornado filho, não se dá para voltar atrás. Deus nunca fez isso e nós não devemos imaginar nada diferente disso.

Em alguns casamentos existe a idéia errada, de que podemos nos separar, sem conseqüências. Muitos estão entrando no conjúgio imaginando se ele vai durar um ano ou mais. Já se entra com o pé atrás.

4- Enfrente os problemas

O cristianismo trata o casamento como algo indissolúvel, a não ser em casos extremados, como violência doméstica, traição ou algo comprovadamente grave demais para continuar com a relação. Ninguém, ninguém casa no cristianismo com a idéia de se separar.

Por isso que os problemas devem ser tratados como verdadeiramente são: problemas a serem enfrentados pela família em conjunto e vencidos. Vemos gente se separando por motivos fúteis e muito bobos.

Recentemente alguém da minha família se separou porque a esposa bateu o carro do casal e o marido não perdoou aquilo. Se separaram por uma batida de carro, onde ele não a apoiou e lhe disse que ela iria pagar o prejuízo. Ele agiu errado e sabe disso. Hoje ele se arrepende, mas seu casamento acabou.

“E serão os dois uma só carne; e assim já não serão dois, mas uma só carne.”
Marcos 10:8

Se Deus não admite o divórcio, mas até permite pela incredulidade dos incrédulos, ao surgir um problema, o casal deve pensar em como resolver e não acusarem-se um ao outro.

Divórcio, ou separação, são palavras que não devem existir num casamento. É uma loucura dois irmãos brigarem um dizer ao outro: “não sou mais teu irmão”.

O mesmo é o casal brigar e um dizer ao outro: “não sou mais teu marido, ou não sou mais tua esposa”. Diante do que significa o desposório isso é bobeira, mas pode ser extremamente ofensivo, então, não diga.

5- Nunca rebaixe o seu companheiro

Nunca faça piadas do seu companheiro, nem em particular e piorou em publico. Fazer piada com o outro não são como se pensa brincadeiras bem-humoradas, não é! É degradante e perigoso.

Fazer piadas sobre as coisas estúpidas que seu marido ou esposa fez em casa é outra maneira de colocá-lo para baixo.

Atrás da maioria dessas piadas há um espírito de raiva e malícia. É uma maneira de “não deixá-los esquecer seus erros”. É uma maneira de trazer os erros novamente para que todos possam saber sobre o fracasso.

Uma piada feita com o parceiro pode ser como um tapa na cara. É a coisa mais feia do mundo quando numa mesa qualquer, um marido, ou uma esposa diz: “Ei! Vocês viram a ultima que o meu marido (ou esposa) fez?”

Um principio básico do casório é o respeito. Você tem o direito a contar a piada que você quiser, mas nunca, jamais, envolvendo o seu marido, ou a sua esposa.

“Tratem a todos com o devido respeito: amem os irmãos, temam a Deus e honrem ao rei.” 1 Pedro 2.17

A liderança de Israel poderia ter acusado Jesus de qualquer coisa, mas nunca de ele ter faltado com o respeito com quem quer que seja.

Lembro-me que ia a vigílias numa Igreja muito usada por Deus e alguém um dia me disse Deus poderia falar dos nossos pecados a todo mundo e eu era novo convertido.

Eu disse: Não, isso não é verdade, Deus não envergonha ninguém. O que nos ensina que nós, não devemos envergonhar também a ninguém.

6- Ajude o outro a crescer

Devido a minha experiência de conselheiro cristão, defendo que só podem se casar pessoas resolvidas. A regra seria que só pode se casar gente que estudou, na sua época certa, fez a faculdade, depois arrumou um emprego, com uma razoável fonte de renda.

A pessoa encontrou alguém, decidiu casar e a partir de então se dispôs a comprar uma casa, moveis, a planejar a festa do matrimônio. Na lua-de-mel ocorreria o primeiro momento sexual da vida do casal, o que seria memorável.

A idéia era casar sem dividas, sem faltar nada. Um dia, lá na frente a esposa ficaria grávida e o casal viveria sem atropelos ou circunstâncias desfavoráveis.

Na prática, muitos estão se atropelando. Primeiro tem o filho, querem se juntar sem casar, para morar na casa dos pais de um deles. Não se tem emprego, nem móveis, nem lua-de-mel, nem paz.

O casal queimou etapas. O sexo que deveria ser uma das ultimas coisas foi a primeira e isso estragou tudo.

Juntos, os pares devem ajudar o outro a crescer. Essa é a idéia. O marido está posto para ajudar a sua esposa a crescer como pessoa, como funcionária numa empresa, ou até como senhora do lar.

O marido deve ajudar no ministério na Igreja da esposa. Ele não deve ser uma pedra de tropeço, mas uma alavanca de ajuda. O mesmo da esposa.

Ela foi colocada ali, para aquele homem, para ajudá-lo a crescer. Crescendo o marido, ou a esposa, o casamento cresce. ESPECIAL: Três conselhos às esposas de pastores

7- Evite os sentimentos negativos

Mas temos visto que muitos fogem totalmente dessa regra, e a inveja surge. Quando um dos dois cresce muito, o outro se sente ofendido por não ter crescido igual.

Esse sentimento negativo não é bom e nem é de Deus. Se um dos dois está crescendo, é porque Deus está fazendo vir o crescimento.

“Cresçam, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, agora e para sempre! Amém.” 2 Pedro 3:18

Temas Relacionado:

Muito ajuda quem não atrapalha. Rebeca, esposa de Isaque, aparece pouco na Bíblia, mas sempre quando aparece é fazendo o bem. Sara, esposa de Abraão acabou tomando atitudes que trouxeram consequências e divisões entre árabes e judeus. O casal deve crescer juntos, no Senhor.

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
12 Compart.
Compartilhar11
Twittar1
+1