Na história do Metodismo houve uma época em que os irmãos Charles Wesley e John Wesley, necessitaram de 40 pregadores e tiveram que usar o que ainda hoje se chama de pessoas leigas.

Leigas no sentido evangélico, são pessoas sem a devida ordenança, conhecimento e estudo das Escrituras.

Então, partindo desta afirmativa, concluímos que quem frequentou um seminário Teológico ou Faculdade Teológica seria uma pessoa douta.. 

O que pode ser bastante discutível, pois ter um Seminário não significa ter chamada ministerial. Já ouvimos falar de ateus que cursaram Teologia.

Para que fatos assim não ocorram e pessoas que são contrárias à nossa Fé tenham base para rebater a Fé que estudaram, mas não creram.

Os Seminários e Faculdades Teológicas exigem que o estudante seja indicado por alguma Igreja – o que pode também ser claramente falsificado.

Outro fato sobre o Estudo da Teologia é que na maioria do tempo, as Igrejas mandam alguém fazer Teologia em uma escola que não é do mesmo seguimento da Igreja.

Ou seja, é a Igreja Pentecostal mandando o camarada fazer Seminário da Igreja Presbiteriana, por exemplo.

A seguir ouvimos dizer de pessoas que estudaram no Seminário e voltaram confrontando a sua Igreja, no que a outra entende que são erros divergências doutrinárias.

Cultos Doutrinários

Para que isso não ocorra, a Igreja em questão, deve estimular a membresia se qualificar, adquirir conhecimentos teológicos e doutrinários.

A Palavra que temos na Igreja, de maneira geral é desorganizada.

A Assembléia de Deus, é a única que ainda persiste em ter o que chamam de Culto Doutrinário.

A idéia desses cultos doutrinários é muito boa, mas na prática fica a desejar.

Nesses cultos deveria haver o ensino da Palavra de Deus, de forma temática e como o nome diz, deveria ser uma doutrina.

Mas na prática quase sempre acaba virando usos e costumes, conforme o entendimento, ou não, do pregador.

Ou seja, na teoria é bom, mas na prática deixa a desejar.

John Wesley, por necessidade criou então regras de Homilética para a sua Igreja e o seu povo, assim como para o seu tempo. 

Ele estabeleceu um manual de conduta e  regras de pregação para os seus colaboradores.

A mensagem de John Wesley

John Wesley

John Wesley escrevendo uma de suas mensagens.

Consta que ele tenha feito 42.000 pregações. A base de sua pregação era: arrependimento, fé e santidade.

Como em regra geral, os co-pastores seguem os ditames do pastor principal.

A mensagem deles deveria ser bem parecida com a de John Wesley. 

Acredito, que essa era a mensagem para o seu tempo. E qual é a mensagem para o nosso tempo?

Quando converti-me já cheguei com uma vantagem sobre muita gente, eu já tinha lido a Bíblia uma vez. Aliás me converti lendo a Bíblia.

A mensagem recorrente na Igreja

Assim como muita gente, também fui ensinado à exaustão sobre o Velho Testamento, que era a mensagem recorrente na Igreja.

Algumas vezes a Igreja ficava semanas sem ler um único texto do Novo Testamento.

Na verdade não se ensina o Velho Testamento, mas vão pregando conforme a necessidade.

O que é uma questão de se organizar. Se já oramos o mínimo, para pelo menos entendermos sobre o que Deus quer falar conosco, já é meio caminho andado.

A inspiração já está ai, agora resta o trabalho, a transpiração. A coisa seria tipo 10% de inspiração e 90% de transpiração.

A não ser em casos extremos onde Deus toma as rédeas completas da pregação e o pregador é só um repetidor de palavras, o que seria o ideal em todos os cultos.

Em 28 anos de cristão, já aconteceu comigo de sonhar com uma pregação inteira, mais de uma vez e ir e pregar exatamente como sonhei e deu certo.

Assim como já me veio na mente, muitas vezes a mensagem inteira na mente, algumas vezes até com título.

Mas ai é manifestação do Dom e entenda que não é a toda hora isso.

A preparação do pregador

Quem tem o chamado de pregador deve estar preparado e isso comporta ler muito e de tudo, ter idéia do que ocorre pelo mundo.

Entender as mídias sociais, de preferência ter uma.

Deve o pregador conhecer as séries mais comentadas, os filmes mais comentados, as musicas mais tocadas.

Também entender a política do seu país.

Uma das maiores reclamações – com muita razão, é a minha também – sobre a pregação equivocada da Igreja.

É quando a Igreja prega de tal forma que nem parece que está no mundo.

Em geral temos em praticamente todas as Igrejas no domingo o Culto da Familia, onde se fala de tudo, menos da família.

Se eventualmente fala da família não toca nos problemas que a Igreja deveria abordar. Em geral, os cultos são muito superficiais.

Chego a pensar que isso é de propósito, para não expor o pregador.

Sabe quando o pregador quer passar de bonzinho e falar algo que seja aceitável por todos e aclamado.

Mas, o que ocorre é que ele não tem coragem ou vontade de entrar nos assuntos que a igreja deveria focar e falar.

Mas, o pregador não quer se expor, apresentar a cara a tapa.

Qual a mensagem para o nosso tempo?

Qual a mensagem de Deus para o Brasil de hoje?  O que deveríamos estar falando e mostrando segundo a Bíblia?

O que Deus queria para o povo e que fosse da maneira dele Deus?

O pecado está agravado. A violência alcançou níveis nunca vistos, a prostituição é aceitável em muitos meios.

O homossexualismo é tema atual da mídia, onde a sociedade quer nos fazer crer – na marra – que é bom ser homossexual e que todos deveriam ser.

As drogas estão na esquina de todas as ruas, até nas cidades interioranas do país. A família está desestruturada.

Temos adolescentes já alcoólatras. As pessoas estão alarmadas com o desemprego.

Assuntos importantes não faltam, mas na maioria do tempo eu tenho a impressão que a Igreja está mesmo decidida a explicar o sexo dos anjos.

O futuro da Igreja

O estudo do Novo Testamento nos mostra que a Antiga Lei era uma maneira que Deus apresentou para que o povo se mantivesse no mínimo de santidade e esperança para Deus poder operar e trazer o Filho ao mundo.

O Antigo Pacto é sombra do Novo e sendo sombra, deve passar. Os pregadores precisam avançar para o Novo Testamento.

Jesus estando aqui, no nosso meio, entre os homens, ele daria o próximo passo para nos levar para o futuro da Igreja, que é ser e estar cheio do Espírito Santo.

Paulo explicou então, pelo mesmo Espírito, que agora compete em viver no Espírito.

A Bíblia é um livro de Revelação Progressiva, os pregadores deveriam ter isso em mente também.

Imagina agora se alguém pregasse mesmo o que se deve no Culto da Família, todos os domingos.

Em um ano a família da Igreja seria outra, haveria uma verdadeira transformação.

Temas Relacionado:

John Wesley tinha uma Palavra para o seu tempo, que alcançou o objetivo que Deus queria para aquela época, mas essa época e essa Palavra já passou.

As Igrejas parecem que não descobriram ainda qual é a Palavra para o século XXI.

Queremos conversões e milagres, mas isso não vai ocorrer com essa palavra simplória que estamos ouvindo e esquecendo na porta da Igreja.

Tenha coragem pregador e pregue os temas atuais que precisam serem pregados.

Com amor, com carinho, com respeito ao ouvinte e às Instituições, mas pregue.

27 Shares
Categories: Olhar bíblico

Juraci Rocha

Juraci Rocha é o editor do site Filhos de Ezequiel. Os escritos de Juraci Rocha são informativos, envolventes, divertidos e desafiadores. É instrutivo ler seus estudos e conhecer seus pontos de vista práticos e profundos sobre o tecido da fé cristã.

John Wesley (a mensagem para o nosso tempo)

Índice
27 Shares
Copy link