A destruição do Templo de Salomão

O Templo de Salomão é conhecido por esse nome, pois foi construído durante o reinado dele no século XI antes de Cristo. Nesse lugar foram guardados os maiores tesouros do povo de Israel. A construção desse Templo era muito desejada pelo Rei Davi, pai de Salomão. Os textos tradicionais dizem que Davi não conseguiu construir o Sagrado Templo por causa de seus vários pecados.

Naquela época, Deus se manifestava muito entre os homens, e muitas vezes usava de castigos e bênçãos para mostrar que determinados tipos de comportamentos não eram corretos e precisavam ser eliminados.

Assim, quando alguém fazia coisas demasiado más, era castigado exemplarmente, geralmente com a tirada de seus bens físicos (muito estimados na época). Quando fazia coisas muito boas, eram agraciados com abundância e prosperidade para si e seus povos.

Todas as histórias mais importantes dos tempos da criação do mundo até o nascimento de Jesus, estão na Bíblia. A história do Templo de Salomão, também está descrita, mais precisamente nos Livros de Samuel, Crônicas e Reis.

Quem foi Salomão

Filho do Rei Davi com Betsabá, Salomão foi um dos reis de Israel, reinando por mais de 40 anos. O livro de Reis é onde o rei é mais mencionado, com referências acerca da construção do Templo de Israel e outras ocorrências. É considerado o rei mais sábio de Israel, tendo sido também o mais rico. Durante seu reinado havia abundância nas colheitas, e suas transações comerciais com outros reis, eram sempre bem sucedidas e muito lucrativas.

A história conta que o Templo de Salomão, foi todo construído em madeira nobre e posteriormente revestido com ouro. A riqueza do rei era tanta que a prata não era usada, já que não havia essa necessidade, pela abundância do ouro existente no lugar.

Salomão não era o herdeiro do trono, pois não era o filho primogênito, sendo esse Adonias, que havia proclamado a si mesmo como pretendente do trono e herdeiro direto de Salomão. Porém, os profetas do reino disseram que a vontade divina queria que Salomão fosse o herdeiro, e isso causou muitas intrigas por parte dos seguidores de Adonias.

Mas, o direito dele de ser rei ficou assegurado devido a uma ação que sua mãe, Zadoque (sumo sacerdote), e o profeta Natã moveram e que foi aprovada pelo Rei Davi. Quando foi declarado Rei, Salomão neutralizou todos os que haviam conspirado contra ele e consolidou seu reinado.

Saiba mais sobre Salomão:

Muito diferente de seu pai, ele não precisou se tornar um líder baseado em guerras, e usou sua sabedoria (obtida diretamente do Deus de Israel), para consolidar e aumentar o reino que seu pai havia construído. Foi um grande diplomata mantendo relações estreitas e amistosas com muitos reis dos países vizinhos. Ele desenvolveu a indústria e o comércio, fazendo com que todas as cidades israelitas fossem prósperas.

A construção do Templo de Salomão

a destruição do templo de salomão
A rainha de Sabá, diante do Templo de Salomão em Jerusalém

Desde há muito tempo, Davi tinha vontade de construir um templo onde pudesse guardar a arca da aliança, e todos os outros tesouros e artefatos de Israel. Para isso comprou um terreno no monte Moriah, mas não pôde levar a cabo a construção desse Templo.

Antes de falecer, Davi deu a Salomão as plantas de Deus para a construção do Templo. No quarto ano de seu reinado o jovem rei deu início às obras que demorariam pouco mais de 7 anos para serem concluídas.

Os números que envolvem essa construção chegam a ser astronômicos, como está relatado no livro de Reis e Crônicas: Salomão enviou 30 mil homens ao Líbano para cortar madeira. Convocou 70 mil homens do reino de Tiro (Líbano) para serem carregadores e outros 80 mil para ofício de cortadores. Além dessa mão de obra, mais 550 homens foram nomeados responsáveis pelos serviços, e 3300 vieram como ajudantes.

O Templo media 60 côvados (45 cms) de comprimento, 20 de largura e 30 de altura (2700 mts x 900 x 1350). Seu revestimento foi feito em madeiras nobres e depois foi revestido com ouro puro.

A arca da aliança foi depositada no Santo dos Santos dentro de um cubo com aresta média de 20 côvados. O majestoso Templo possuía um altar também revestido em ouro e contava com grandes pátios em seu exterior.

O Templo de Salomão guardava todas as relíquias do Deus de Israel, e também todas as riquezas que foram acumuladas por Davi e Salomão. Como este último foi o rei mais rico da história de Israel, acredita-se que seu tesouro era de um tamanho que poucos homens conseguem imaginar. O Templo foi erguido no mesmo lugar onde Abraão ofereceu seu filho único, Isaque, como sacrifício a Deus.

A destruição do Templo de Salomão

Depois de sua construção, o templo demorou 13 anos para ser usado, por razões até hoje desconhecidas. Sua dedicação se deu um ano após a construção, devido ao ano de término ter sido um ano jubileu (o nono) e contar exatos 3 mil anos da criação do mundo.

A destruição do Templo se deu durante o reinado de Joaquim de Judá. Jeoaquim ou Jeoaquim foi 18º rei de Judá. Originalmente seu nome era Eliakim, nome que foi mudado por Faraó Neco. Jeremias 25.1 indica que Joaquim, filho de Josias, assumiu o trono após a morte de seu pai em 609 a.C e reinou durante 11 anos.

Em 586 antes de Cristo, durante o reinado do rei Joaquim, Nabucodonosor da Babilônia, depois de muitas investidas contra Jerusalém, finalmente conseguiu invadir a cidade e saquear seus bens mais sagrados, destruindo o Templo de Salomão, e levando seus incontáveis tesouros para a Babilônia.

Junto com a destruição do Templo, houve a escolha de filhos de nobres e da realeza que seriam levados como escravos para a Babilônia, nessa ocasião Daniel foi um desses escolhidos e, devido sua inteligência, passou a ser administrador do rei Babilônico.

Segundo as Escrituras Sagradas, Deus permitiu que o Templo de Salomão fosse destruído, pois ele havia se tornado em um rei que adorava outros deuses, já que se casara com mulheres que não acreditavam no Deus de Israel, e que acabaram corrompendo o Rei.

A promessa de sabedoria e riqueza que Deus fizera a Salomão, foi quebrada, pois ele havia deixado que sua fé fosse abalada por costumes pagãos, que apenas o envenenaram e encheram de cobiça e falta de amabilidade para com o povo.

Temas Relacionado:

Os principais documentos que falam do Rei estão encerrados na Bíblia, que o descreve como sendo um rei próspero e sábio, sendo consultado por vários reis de outros países, chegando a receber a famosa Rainha de Sabá para uma consulta. Além disso, o nome do Rei também é mencionado na tradição Islâmica como Sulayman ou Suleiman e no Islã é considerado profeta e grande legislador de Alá.

Recentemente, em 2010, antigas fortalezas foram escavadas em Jerusalém e acabaram por sustentar a narrativa bíblica dos tempos do Rei Salomão.

A destruição do Templo de Salomão

Tempo de leitura: 5 min
8 Shares
Share7
+11
Tweet
WhatsApp